terça-feira, 20 de janeiro de 2009

JOÃO AGUARDELA - FUNDADOR DOS SITIADOS

Os dias sem ti
são todos iguais
são dias sem brilho
são dias a mais


O João morreu ontem...aos 39 anos.
Era novo demais. Aliás somos sempre novos demais para a morte.
"A nação é composta pelos mortos que a fundaram e dos vivos que a mantém" (Renan)
E vamos continuar a mantê-la... Por ti e por nós...Encontraremo-nos por aí.

6 comentários:

Duda disse...

Olá!
Sabes que ontem fiquei chocada com esta noticia, até fiquei um pouco emocionada. Pois eu acompanhei a vida artistica do João, aliás os Sitiados foram um dos grupo portugueses que vi mais actuações aos vivo. E digo-te que os espectáculos deles eram 5*, toda aquela complexidade entre o João e a Sandra, como os outros elementos do grupo com o publico eram altamente.
João nunca vou esqueçer o teu olhar e um até já...
Bjinhos

myleta disse...

É e sempre será uma referência da nossa adolescência :) bem que me fartei de dançar ao som de Sitiados.

Não faz sentido ir embora tão cedo, não faz mesmo...! Que nervos!!!

Um beijinho

Duda disse...

Olá!
Vim desejar um óptimo fim-de-semana.
Bjinhos

liliandreia disse...

ola!passei para desejar um optimo fim de semana
bjs

APO (Bem-Trapilho) disse...

Apesar de já nao saber dele há uma data de tempo nutria uma grande simpatia por ele. Não fui particularmente fã dos Sitiados, mas até gostava de os ouvir e por essa altura, vá-se lá perceber porquê, começou a correr o boato na escola onde eu andava que eu era irmã dele! até hj nao percebi como isto começou, sei que volta e meia ouvia uns cochichos e até me vinham perguntar se era verdade. foi tal o zum-zum que na brincadeira passei a referir-me a ele, na altura muito na berra com a Vida de Marinheiro, como o "meu mano". Eu que nao tenho irmãos e sempre quis muito ter um, de preferencia mais velho, pk como sempre fui a benjamim da grupeta do meu bairro, estava habituada a ter amigos mais velhos. resultado, passaram estes anos todos e continuo a nutrir a tal simpatia por ele, mesmo sem o conhecer pessoalmente. Fiquei triste com a noticia apesar de como te digo lhe ter perdido o rasto por estes anos todos. Acho que com a história do "mano" lhe ganhei algum carinho.

teresa p disse...

«Está um rapaz a arder
em cima do muro,
as mãos apaziguadas.
arde indiferentemente à neve que o encharca
Outros foram capazes
de lhe sabotar o corpo,
archote glaciar
nunca ninguém apagou esse lume»

A ti, João.
Vais deixar muitas saudades, mas
O lume continua!